O site “Aminha corrida”, foi falar com a Andreia para partilhar a sua experiência em como é possível conciliar corrida com gravidez.

1 – Na tua Opinião é possível conciliar corrida /gravidez? ACC:

Não só é possível, como é vital. O exercício Básico é fundamental na gravidez, e quem pratica corrida poderá continuar a correr, de forma moderada/leve e claro, adaptada a sua situação.

Publicidade

Existem alguns cuidados a ter, em consideração, nomeadamente a nível de hidratação e na exposição ao calor, usar roupas confortáveis e estar atento ao ritmo cardíaco.

  1. Com foi o teu percurso durante 9 meses e como te preparaste para nunca deixar de treinar? ACC:

Durante o primeiro trimestre adaptei os exercícios. Não fiz movimentos que gerassem grandes impactos no meu corpo, para isso, fazia cycling e natação. A partir do segundo trimestre pude retomar as corridas e os trails até aos 7 meses de gestação.

No verão corria, no horário com menos calor, cheguei até a treinar as seis da manhã.

Fiz algumas provas, inclusive O VALDARAN 55km, consciente que os meus timings não seria os ditos “normais”, mas com um ritmo confortável para mim. O importante para mim era continuar e a praticar uma modalidade que me faz feliz. Nem sempre é fácil, é uma área muito competitiva e queremos sempre ficar bem classificados.

Após os 7 meses de gravidez, de modo a evitar parto prematuro, tive de adaptar novamente os meus treinos, por uma questão de impactos e também para evitar quedas. Reduzi, mas não parei totalmente as corridas (obviamente de forma muito controlada) e apostei na natação e em treinos funcionais moderados.

  1. Quais os acessórios que uma gravida deve ter em conta? (ex.: cinta, top, ténis etc.) ACC:

O ténis tem que ser o mais confortáveis possível, para se franca continuei a utilizar o mesmo equipamento. Não utilizei cinta por opção e por ela me causar um certo desconforto quando corria.

O que era imprescindível para mim quando corria era o uso de um cinto para transportar água. Não me canso de repetir a água era e é sempre essencial!! ( digo a brincar: chegou quase a ser a minha companheira durantes a gestação )

  1. – Como estas a tua preparação no regresso à competição no pós-parto? ACC:

Após o parto tive um período de pausa de corrida, período esse inevitável, para a nível pélvico voltar ao seu estado normal. Após avaliação e reforço pélvico, (que aconselho para qualquer pessoa) ao fim de 2 meses, foi me dado alta da minha pausa forçada.

Alias iniciei agora os treinos. Estava ciente e sei que a minha performance não é a mesma, antes de engravidar. Mas sei que pode e vai ser trabalhada. Vai ser um período trabalhoso, e de superação. Será uma “mise au point” gradual.

  1. – Para concluir, fala nos  sobre um momento em que estipulaste metas difíceis e como fizeste para as realizar.

ACC:

Estou constantemente a definir metas

Um dos momentos dificeis, onde tive que ser mais metódica, foi quando trabalhava como arquiteta e tirava o curso de desporto ao mesmo tempo. Tinha de gerir o meu tempo para os treinos. Para ser possível, começava o meu dia bem cedo para conseguir treinar as 6h da manhã antes das aulas ou as 23h depois do trabalho. Sem nunca deixar as provas ao fim-de-semana.

Nessa altura praticava também atletismo, os planos de treino eram muito específicos, por estar em época de provas.

Com isto aprendi que tudo é possível de conciliar .

É preciso alguma gestão do tempo, muita organização e o principal muita força de vontade. Mas tudo é realizável.

Outro momento difíci  e marcante no meu percurso, foi quando fraturei o pé (maléolo).

Tive de ser operada, levei uma placa e alguns parafusos. Dentro de três meses tinha uma prova para a qual me tinha esforçado muito e tinha de participar. Para isso tive fisioterapia e estipulamos objectivos para 3 meses. Foi preciso de muita disciplina e treinos diários intensos, mas foi possível e o objetivo foi realizado com sucesso .

Como acredito que estipular objetivos e metas é um grande impulsionador para o nosso sucesso, já estipulei os meus objetivos:

Voltar a treinar para as minhas provas, realizar provas, tudo isso, conciliando o tempo para a família, o meu trabalho como arquiteta e como personal trainer. Quero realizar algumas provas de Ultra 50 km.

 

Rute Vasconcelos