Cada vez mais os corredores apostam nas músicas para correr. Elas neutralizam as possíveis distrações no meio do caminho e ajudam a dar o gás para completar o treino.


Ainda assim, os mais tradicionais consideram correr com algo nos seus ouvidos um sacrilégio. E olha que essa conversa vem a acontecer desde a invenção do Walkman.

A verdade é que existem pontos positivos e negativos da utilização de auscultadores que podem ajudá-lo a decidir se quer ou não músicas para correr. Aqui estão três prós e três contras da prática. Confira:

1 Empolgacão

Todo corredor já teve aquele dia em que o treino — seja de 5, 10 ou 20K — é a última coisa que deseja fazer. Quando você sentir que precisa de uma motivação extra, a sua lista de reprodução favorita pode ser exatamente o que falta.

Costas Karageorghis, psicóloga desportiva que estuda a influência positiva da música nos atletas, concorda que músicas animadas podem ajudar os corredores a ter mentalidade para enfrentar os percursos mais difíceis.

“A música eleva aspectos positivos do humor, como emoção e felicidade. E reduz aspectos negativos, como tensão, fadiga e confusão”, disse Costas.

Uma pesquisa do The Journal of Strength and Conditioning Research confirma isso. Ela descobriu que ouvir música antes de um treino ajudará você a se animar e a prepará-lo melhor para o que está por vir.

Dica: Ouvir a música certa enquanto corres é importante. A última coisa que quer é que uma música lenta seja reproduzida quando você começar a fazer uma subida.

2 –  Aprende a manter um ritmo consistente

Muitos corredores preferem correr sem música para que possam se concentrar em dicas essenciais — como respiração e batidas nos pés — e assim controlar o ritmo. Música ou podcasts te distraem disso, certo? Não necessariamente.

Se feita corretamente, a música pode realmente ajudar os corredores a manter o pace durante o treino. Num estudo publicado no PLoS One, os corredores tiveram um desempenho melhor quando a batida da música combinava com a sua cadência do que quando estavam sem músicas para correr.

Dica: Costas sugere ouvir sons em ritmo acelerado que excedem 120 bpm (batidas por minuto) para exercícios de alta intensidade e música com menos de 120 bpm para exercícios que exigem menos esforço — como o longão. Outro bônus: a música certa pode realmente ajudá-lo a se recuperar de um treino duro.

3 – Suas corridas podem parecer mais fáceis

Treinar para qualquer corrida já é difícil o suficiente. Por que não facilitar um pouco para você mesmo?

De acordo com um estudo realizado na Universidade Keele, na Inglaterra, tocar as suas músicas favoritas reduzem os níveis de esforço e aumenta a sensação de “estar bem”. Outro estudo feito este ano na Frontiers in Psychology também mostrou que ouvir música reduz o esforço percebido no exercício de resistência.

O estímulo externo da música é realmente capaz de bloquear os seus empecilhos internos, como a fadiga, que fica o tempo todo falando ao seu cérebro o quão cansado está. Quando a percepção de esforço de um corredor é reduzida, ele sente que pode correr mais rápido por mais tempo.

Dica: Se você precisar de alguma motivação extra para concluir os seus exercícios mais difíceis, vá até a sua playlist preferida. Um estudo recente publicado na revista Medicine & Science in Sports & Exercise descobriu que, quando os indivíduos estavam a fazer um árduo treino de ciclismo, eles aumentavam significativamente as suas cadências com os sons que mais gostavam.

Escutar músicas para correr: contras

4Você fica isolado do ambiente externo

Um dos principais motivos para deixar os seus auscultadores em casa é sua própria segurança. Mesmo nas principais cidades do mundo, sempre encontramos motoristas distraídos, ciclistas ou mesmo pedestres no meio do caminho.

E se estiver com os auscultadores, talvez não ouça algum carro se aproximar, alguém tentando falar com você ou até mesmo uma situação de risco. Se souber que estará numa avenida movimentada ou num lugar com histórico de assaltos, talvez seja melhor não colocar músicas para correr.

Dica: Se quer muito um som, experimente colocar apenas um lado do fone.

5Você pode desorganizar o seu pace

Embora o treino com música tenha se mostrado uma ferramenta valiosa, não é nada que precisa usar em todas as fases do treino. Você não quererá se tornar dependente da música para fazer uma corrida. No dia da prova isso pode-te atrapalhar.

USA Track and Field (USATF) proibiu originalmente o uso de dispositivos portáteis em seus eventos em 2007. Mais tarde, emendou a proibição para aplicar apenas aos “competidores de elite, que ganharam medalhas ou prêmios em dinheiro.”

É sempre uma boa ideia verificar as regras e regulamentos de cada prova. Embora a proibição original tenha sido revogada, alguns diretores de corrida ainda desencorajam fortemente o uso de dispositivos portáteis de música. Especialmente em locais com muita gente.

Além disso, a música também pode prejudicar o seu ritmo. Jim Denison, que é sociólogo e treinador, usou o exemplo de um corredor subindo uma ladeira. “Depender de uma banda para isso pode deixá-lo instável em outras ocasiões.”

Dica: Para se proteger, Jim sugere usar o relógio e medir cada etapa do seu treino. Isso ajudará você a saber exatamente como deve ser o ritmo de sua corrida sem depender de músicas para correr.

6Você prejudica a experiência ao colocar músicas para correr

Hoje em dia, as distrações da tecnologia estão por toda parte. Correr é uma maneira de muitos limparem a cabeça e se afastarem dessas distrações, e Jim acredita que a música afeta negativamente essa experiência.

“A capacidade de estar em paz e calmo é algo que perdemos em nossa cultura. Perdemos em favor da multitarefa. Eu argumentaria que ouvir música — podcasts ou audiolivros — enquanto corre é uma forma de tentar ser multitarefa”, disse.

Embora haja dias em que talvez precise do impulso motivacional extra das suas músicas favoritas, há algo especial em ficar sozinho e correr apenas com os seus pensamentos.

Dica: Desconecte os auscultadores ocasionalmente e ouça o mundo ao redor. É bom para a alma.