Hoje a maioria dos corredores pratica com um relógio. O tempo e a cardiologia fazem agora parte dos hábitos dos corredores. Tanto que quase se esquece de ser possível correr de outra forma, simplesmente ouvindo o corpo e as sensações.

   
Porque correr para as sensações?
Correr para as sensações é crucial para progredir bem. Trabalhar com sensações, ajuda a desenvolver um melhor autoconhecimento. No início, aprende a correr sem relógio, enquanto ouve o seu corpo e os sinais que envia.
Reconhecer-nos melhor permite antecipar melhor as lesões e saber ajustar o tiro de acordo com o estado de aptidão do momento.
 Com efeito, delegar todos os seus critérios de desempenho em ferramentas tecnológicas não é a melhor forma de se tornar versátil e capaz de lidar com todas as situações.
 Deve ser capaz de sentir, sem ajuda tecnológica, em que área de esforço está. É o seu sentimento que vai modular a sua aparência.
 Correr para sensações também significa priorizar o prazer em vez do desempenho. Muitos corredores tenderão, independentemente das condições, a querer respeitar o tempo coberto a qualquer custo, conforme indicado no seu plano de treino. Correr contra um vento forte ou à chuva, enquanto tenta respeitar o tempo é quase impossível!
Saber correr com sensações vai permitir-lhe ser muito mais flexível em caso de surpresas más, malformações ou outros imprevistos.
Finalmente, correr é primeiro um jogo de diversão! Querer dar tudo de si porque sente que tem as pernas e precisa de descontrair, não terá necessariamente um impacto negativo nas próximas sessões. Pelo contrário, pode ganhar confiança.
Por outro lado, se estiver num dia mau, onde o formulário não está no ponto de encontro, correr para as sensações permite levantar o pé.
Treinar sem relógio de pulso é, portanto, a melhor forma de respeitar o seu nível de recuperação. Está na melhor posição para determinar a duração e intensidade das suas saídas.
Quando correr para as sensações?
Idealmente, é necessário tentar alternar as sessões com as sensações com sessões mais codificadas com objetivos específicos. Deixe o gps ou o monitor de batimentos cardíacos em casa pelo menos uma vez por semana, para realizar uma sessão apenas com a sensação.
As sessões de sensação também são recomendadas após um corte, ou após uma lesão.
Sensações – intensidades
 
Aqui ficam algumas indicações para se situar em sensações e intensidade de esforço.
Corrida: resistência fundamental
O ritmo deve ser fácil de manter e precisa estar na sua zona de conforto. Pode manter o ritmo por várias horas, a falta de ar não é pronunciada. Deve ser capaz de manter uma conversa fazendo frases completas.
Limiar aeróbico
É um esforço moderado. O ritmo é ligeiramente difícil e o conforto não é total, mas o esforço poderia ser mantido 1 hora ou mais. É possível falar correndo, mas nenhuma conversa completa para tudo isso.
Limiar anaeróbio
 
O ritmo é bastante intenso. O esforço deve ser difícil, mas controlado. A respiração é mais rápida, a fadiga vai-se a instalar gradualmente e o corredor deve controlar-se para não ficar exausto.
VMA
 
Ritmo intenso, perto do máximo do corredor. No final dos ensaios, o ciclista deve ter a impressão de que não poderia ter feito mais um.
A taxa de respiração é intensa e é difícil pronunciar uma frase.