A idade chega e você não aceita que o seu corpo mudou. Decide continuar os treinos como antes, afinal, não se deixará vencer pelo peso dos anos de vida. Mas será que isso é possível?

O técnico de corrida Hal Higdon, quando jovem, treinava freneticamente, correndo 2 vezes por dia, fazendo mais de 160 km por semana. “Hoje vejo a corrida de um modo mais maduro, 160 km é minha meta para um mês inteiro, não diminuí o meu compromisso com a boa forma, modifiquei os meus  programas de treino para compensar a minha idade”, comenta no seu livro ‘Corrida e boa forma depois dos 40’.

É muito difícil lidar com as mudanças físicas, mas ninguém deve encará-las como sinónimo de perda. De facto, sim, os veteranos precisam de treinar de forma diferente. Mas o seu desempenho não precisa cair com a idade, mas é preciso saber adaptar o seu treino à sua condição física. Higdon admite que depois de 10 km de corrida em estrada, os seus joelhos doem para correr no dia seguinte, por isso precisou mudar um pouco o ritmo.

Pensando nos veteranos, Higdon criou um programa para corredores  experientes que desejam correr 3 dias por semana. Ele procurou o equilíbrio entre um programa que não fosse fácil demais, como os de iniciantes, nem difícil demais, como são os dos atletas mais jovens.

As 3 corridas estão programadas para terça-feira, quinta-feira e domingo, sendo as últimas duas as corridas mais longas. As segundas-feiras e os sábados são dias de descanso. E a sugestão editor-contribuinte da Runner’s World é de que nas quartas e sextas-feiras seja feito um treino de resistência e alongamento ou um treino combinado: natação, ciclismo ou caminhada. Essa é uma sugestão para os veteranos que percebem as mudanças vindas com a idade, mas que desejam continuar a correr e/ou a competir. “Lembre-se que a essência do programa é correr apenas 3 dias, porém tornando-os significativos”.

Fonte:

HIGDON, Hal. Corrida e boa forma depois dos 40. São Paulo: Editora Gente, 2010. 212 p. (http:// www.portalcoop.com.br)

Adaptação:

www.aminhacorrida.com