Exercício físico liberta endorfinas que são responsáveis por gerar as sensações de felicidade e euforia

Para caminhadas ou atividades que requerem pouco esforço físico não é verificado qualquer alteração dos níveis de endorfina no sangue que percorre todo o nosso corpo.

Exercício físico ajuda a reduzir os sintomas de depressão

Como dito anteriormente, a prática de exercício estimula a libertação de endorfinas. Quando o estímulo é provocado de forma constante, as endorfinas atuam e provocam reações que ajudam na prevenção de muitos sintomas ligados à depressão.

A libertação de endorfinas, junto com a melhoria de autoestima – por mudanças físicas e saúde ou psicologicamente pelo sentimento de dever cumprido – leva a um estado emocional de prazer, felicidade e concretização.

É estudado que a libertação de endorfinas deverá ser constante para que possa ser considerada uma aliada na redução dos sintomas de depressão.

Após passado um mês, é expetável que a prática de exercícios físicos comece a alterar o nosso dia-a-dia se se mantiver uma constância. Normalmente, após primeiro mês a motivação e a força de continuar começa a aumentar exponencialmente.

Problemas relacionados à depressão como alterações de humor, distúrbios de sono, desesperança e falta de energia tendem a diminuir com a prática regular de exercício físico.

Não obstante, que a prática de exercício físico de forma regular promove grandes melhorias a níveis no humor e bem estar – físico e psicológico – é importante sublinhar que deve ser uma aliada a reduzir os sintomas de depressão, porém não é a solução!

O tratamento e acompanhamento de um profissional deve ser o principal meio para a cura de qualquer doença.

 

Exercitar-se regularmente estimula a criação de novas células e melhorar o funcionamento do cérebro

A prática de exercício físico de forma regular trás grandes benefícios relativos ao desempenho cognitivo.

Uma prática saudável de exercícios promove uma grande melhoria na capacidade de concentração, ideal para momentos de provas escolares!

Hoje é do conhecimento geral que a melhor forma de desenvolver novas células cerebrais é pela realização de exercício físico.

Esta prática promove também a síntese de proteínas necessárias para sinapses – processo comunicativo entre neurónios – e para a criação de memórias novas.

 A melhoria das sinapses é possível dado que a atividade física aumenta a produção e libertação de neurotransmissores e hormonas responsáveis por fazerem possível a comunicação entre os neurónios.

A prática regular de exercício físico melhora o humor e a qualidade de sono, reduzindo assim os níveis de stress e ansiedade provenientes de ambientes possivelmente problemáticos como trabalho ou ensino em épocas de exames escolares.

Exercícios físicos, quando praticados, provocam um aumento do fluxo sanguíneo no cérebro. Com este aumento, é fornecida uma maior quantidade de oxigénio e glicose, fulcral para a sua saúde e bom funcionamento.

Para um poderoso aumento de fluxo sanguíneo no cérebro, a prática de exercícios aeróbicos pode provocar um maior bombear do coração, provocando uma maior e melhor oxigenação nas células.

Uma maior oxigenação também significa uma melhor estimulação na criação de novas células, não só no nosso cérebro, mas como também por todo o organismo.

A prática regular de atividades físicas anaeróbicas e/ou aeróbicas, quando acompanhadas com uma boa alimentação e consumo de água suficiente, pode ser considerada como a fonte tão procurada de purificação de todo o organismo e fonte de energia do nosso cérebro.