Avaliar o desempenho na corrida entre diferentes géneros é algo que deve ser sempre tratado com bastante cuidado. Fatores físicos, sociais e genéticos acabam a predominar frente a dedicação e disciplina em alguns casos. Mas como saber onde o homem e a mulher corredora terão mais dificuldades de evolução como corredores. É disso que vamos falar a partir de agora

Mas também é fato que, mesmo com esse avanço gigantesco do público feminino no desporto, os resultados absolutos quando falamos em desempenho na corrida entre homens e mulheres ainda é significativo. Porém, essa diferença tem diminuído ano a ano.

Mas será que algum dia a performance entre os géneros será igual? E como está esse cenário quando falamos de desempenho na corrida

Publicidade

Que tal saber as possibilidades disso se tornar uma realidade? Com base no comportamento do organismo de cada um e como o corpo reage, faremos essa análise para o treino de corrida. Acompanhe!

Desempenho na corrida: homem x mulher
Número de glóbulos vermelhos
Os glóbulos vermelhos são as principais células do sistema sanguíneo e possuem como função principal o transporte de oxigénio, fundamental para manter o fôlego na corrida. Sendo assim, fica claro que, se tem mais dessas células, poderá correr por muito mais tempo com mais eficiência.

Quando comparamos a quantidade de glóbulos vermelhos entre os dois géneros, o homem possui mais glóbulos vermelhos em comparação a mulher. Isso contribui de forma significativa para uma maior resistência e, por consequência, um desempenho aeróbico melhor.

Maior débito cardíaco máximo
O débito cardíaco se refere à quantidade de sangue bombeado pelo coração no espaço de 1 minuto. O valor máximo desse volume sanguíneo acontece quando praticamos tipos de treinos físicos mais intensos. São nesses momentos que o coração precisa trabalhar mais para suprir a necessidade do nosso corpo.

Nesse caso, o homem também possui um débito cardíaco máximo maior que o da mulher. Em resumo: por ter uma estrutura física maior, bem como o tamanho do coração, o volume costuma ser maior. E isso ocorre não necessariamente por ser mais eficiente, e sim por conseguir armazenar mais sangue do que a mulher. Isso acaba a impactar na diferença que ainda existe no desempenho absoluto da corrida.

Mais testosterona e melhor desempenho na corrida
A testosterona é o principal hormona masculino e é responsável por diversas características específicas dos géneros. Ela é como um anabolizante natural, presente em abundantes no sexo masculino. Por essa vantagem, homens acabam tendo mais facilidade em desenvolver mais massa muscular e também de força.

Isso também demonstra o quanto a capacidade de superação da mulher se mostra maior que a do homem, pois, mesmo com condições hormonais inferiores, os tempos continuam a melhorar ano a ano.

Centro de gravidade
A mulher em geral possui maior comprimento de tronco e extremidades mais curtas. Isso é o inverso do que se apresenta no corpo masculino. Por causa dessa diferença no comprimento das extremidades em relação ao tronco, elas possuem um centro de gravidade mais próximo do solo.

Essa característica física ajuda muito na manutenção de equilíbrio e estabilidade do corpo, reduzindo o desgaste em distâncias maiores, como maratona e ultramaratonas.

Porém, é importante reforçar que, caso a corredora tenha quadris mais largos, essa condição acaba sendo prejudicada. Isso porque ela gastará mais energia estabilizando joelhos e quadril, por conta da inclinação, chamada na área desportiva como Ângulo Q.

Características dos homens
Testosterona e desempenho na corrida
Como explicado anteriormente, um dos principais fatores que explica os diferentes tipos de rendimento desportivo na corrida é hormonal e está relacionado com a testosterona. Todos nós sabemos que essa substância é completamente predominante no organismo masculino e tem um papel importante na prática desportiva pelos mais diversos motivos.

Primeiramente, ela favorece o ganho natural de massa muscular, também chamado anabolismo, o que por si só já implica numa facilidade maior em obter bons resultados. Esse efeito assegura vantagens em força, velocidade e, sobretudo, potência. Em outras palavras: os homens acabam sendo mais fortes e rápidos.

Anatomia e como afeta o desempenho entre corredores
A anatomia masculina também exerce um efeito importante no desempenho na corrida: ela tem diversas diferenças em relação à da mulher. O sistema cardiovascular, por exemplo, é maior nos homens e isso implica em que eles precisem fazer menos esforço para atingir o seu objetivo.

Em outras palavras, o coração feminino, em linhas gerais, precisa bater muito mais vezes para bombear a mesma quantidade de sangue para os tecidos. Essa condição acabaria a levar a uma fadiga na corrida precoce, caso as mulheres tentassem acompanhar o mesmo ritmo, considerando o mesmo patamar de atleta.

Metabolismo
O metabolismo dos homens é bem diferente do das mulheres e isso é bastante conhecido no meio desportivo. Por conta da massa muscular maior, o corpo masculino acaba tendo mais facilidade em perder peso. Os seus músculos acabam a consumir mais calorias mesmo no estado de repouso.

Sendo assim, há uma clara vantagem nos exercícios aeróbicos. O sobrepeso, atualmente maior no público feminino, prejudicaria o desempenho em velocidade, resistência e eficiência.

Características das mulheres
TPM
A TPM (tensão pré-menstrual) também é um fator que ajuda a justificar os diferentes desempenhos na corrida. Todo o mundo sabe que as mulheres são mensalmente expostas a esse tipo de situação e as consequências em termos de sintomas podem prejudicar não apenas o treino, mas como os próprios resultados na prova.

Fica muito mais difícil fazer uma boa sessão quando a mulher está com cólicas ou dores de cabeça, por exemplo. Assim, eventualmente, pode ser preciso que elas fiquem em repouso em alguns casos. Isso prejudica a regularidade e, consequentemente, a resposta ao treino de corrida.

Flexibilidade x desempenho na corrida

Uma das grandes vantagens que as mulheres podem ter no desempenho na corrida é que, em linhas gerais, elas são mais flexíveis que os homens. Isso pode ser visto com a predominância feminina em algumas modalidades específicas, como a ginástica olímpica e o nado sincronizado, por exemplo.

Essa característica proporciona benefícios na execução de alguns gestos desportivos. Isso ocorre particularmente nos desportos nos quais a coordenação motora e perfeição de movimentos são muito importante.

Porém, quando falamos de corrida, vale um alerta: mulheres muito flexíveis podem ter articulações mais “frouxas”, o que exige mais força para estabilização, principalmente em joelho e tornozelo. Em outras palavras, mais flexibilidade tem que caminhar lado a lado com um treino de força.

Gorduras
Por questões genéticas e hormonais, outra diferença marcante entre homens e mulheres é a quantidade de gordura corporal. Anatomicamente, tende a ser maior no corpo feminino. Essa característica pode acarretar sérias desvantagens competitivas, sobretudo em algumas modalidades

No entanto, também não podemos deixar de perceber que isso pode até conferir um benefício interessante em provas de longas distâncias, principalmente em ultramaratona e desafios aquáticos.

Desempenho na corrida em provas específicas
Realmente, quando o assunto é corrida, os homens saem na frente. Porém, apenas em números absolutos, como observaremos a frente. Apesar da anatomia e a fisiologia favorecem o género masculino, as mulheres já são 50% dos atletas nas olimpíadas. Impressionante, não?

Porém, existem outros desportos nos quais a mulher tende a se sobressair e consegue ter desempenhos melhores que os homens. O motivo é o mesmo: características anatómicas e fisiológicas.

Um bom exemplo é a natação. Como a mulher possui mais % gordura maior e costuma pesar menos que o homem, ela flutuar melhor. Isso é verdade, especialmente, para as provas em mar aberto. Não podemos esquecer também de atividades como ginástica olímpica, dança e o ballet, dentre outras.

Quer uma maior evolução na corrida? Foque nos treinos
O fato dos homens conseguir um melhor desempenho na corrida não significa que eles sejam superiores. As mulheres pulverizaram em escalas muito maiores recordes na corrida em comparação aos homens ao longo das últimas décadas.

Na maratona, o recorde mundial masculino está atualmente em 2:01:40, enquanto o das mulheres está em 2:14:04. Porém, as mulheres competem oficialmente na distância há muito menos tempo. A primeira maratona oficial feminina em olimpíadas, por exemplo, ocorreu APENAS EM 1984!

Isso mostra o quanto as mulheres enfrentam barreiras e, de forma clara, estão a evoluir mais rápido que o homem.

O desempenho na corrida também pode ser melhorado com a ajuda de treinos direcionados para o fortalecimento muscular, alimentação e orientação personalizada. Por isso, o foco maior deve ser sempre um: ser um corredor melhor, independente do género.