Além de ser esteticamente bonito ou não  a barriga muitas vezes é um peso extra para carregar. Querer reduzi-la é um desejo perfeitamente legítimo e também pode ser alcançado com certas atenções dietéticas. Vamos ver quais.

1. ELIMINE AÇÚCARES E LANCHES DE CALORIAS

Os açúcares estimulam a produção de insulina que está ligada – sem causar uma hemorragia nasal abundante – com o acúmulo de gordura. O mau dos açúcares é que eles também estão contidos onde menos espera e não apenas no brioche que come de manhã com um cappuccino.

Frequentemente,  os encontra no pão e em muitas preparações, onde não os esperava. Eliminar os mais “óbvios” é o primeiro passo para limitar um nutriente que – é inútil contorná-lo – normalmente consumimos em excesso das nossas reais necessidades.

2. DÊ PREFERÊNCIA A VEGETAIS, CARBOIDRATOS COMPLEXOS E PROTEÍNAS.

Os carboidratos não estão apenas nos açúcares, pão ou massa. Também pode encontrá-los em muitos vegetais, como brócolis, repolho, batata. Não é o mesmo que merengue – sei – mas temos que começar de algum lugar, o que acha?

Onde pode encontrar boas proteínas? Em muitos lugares … , alimentos: em frango, peru, peixes (também ricos em ômega 3), ovos. As gorduras saturadas (as boas) são encontradas em peixes, óleo e frutas secas. , essa dieta não é deprimente, não é?

3. FAÇA EXERCÍCIOS  (MESMO COM PESOS)

Pode perder peso com uma dieta controlada, mas o exercício é um componente muito importante, especialmente para acelerar esse processo. Se  combinar uma dieta saudável com exercícios de peso corporal ou mesmo com pesos, queimará muito mais calorias e as transformará em músculos. A essa altura, não se deixe enganar pela balança que só conta uma parte da verdade: o seu peso absoluto pode permanecer o mesmo ou até aumentar, mas nesse meio tempo a gordura se converteu em massa muscular. E não era isso que queria?

4. DÊ UM TEMPO A SI MESMO!

Muitas dietas falham porque um regime excessivamente restritivo cria muita pressão e frustração. E se os resultados não corresponderem às expectativas, a primeira reação é ceder e pensar “É inútil mesmo”.

Se, por outro lado, por apenas uma refeição por semana se permitir algumas exceções à regra, nada acontece e, acima de tudo, será capaz de aliviar a tensão. O importante é que esse rasgo não é um “free all” e uma forma de exagerar sem limites. E, primeiro, ocorre apenas uma vez por semana.

5. VERIFIQUE AS PORÇÕES

Não são os alimentos que engordam (ou pelo menos: não todos), mas os excessos. O controle da porção é fundamental e também ajuda a saber as quantidades do que come e entender melhor o que precisa.

Nesse caso, a regra principal é, acima de tudo, eliminar os encores. Se quiser encontrar a motivação perfeita para fazer isso, lembre-se de como é difícil correr e verá que pode deixar a segunda porção da cauda da rabada na frigideira. Se quiser ajuda ótica, use a regra dos pratos .

6. BEBA

A hidratação adequada é essencial por mil razões, mas neste caso específico é importante porque preenche (parece trivial mas ajuda) e facilita a expulsão de processos metabólicos e toxinas. Se também iniciou uma dieta pobre em carboidratos e rica em proteínas, é ainda mais importante se hidratar bem para facilitar o trabalho dos rins, pois eles ficarão mais stressados ​​na transformação desses nutrientes.

7. SONO

Uh, quanto esforço, hein? Depois de se exercitar e prestar atenção em quanto e o que come, sente-se mais cansado do que o normal. É hora de descansar, também porque é durante o sono que ocorrem os processos mais profundos de recuperação e reconstrução dos tecidos musculares danificados pelo exercício físico.

E amanhã, mais leve e descansado, estará pronto para um novo dia. Com menos barriga!

 

Manuela Mendes